A motivação é a incitação a violência e ao caos, em discurso do ex-presidente, horas depois de solto por decisão do Supremo Tribunal Federal 




Se os fatos ocorridos na Bolívia, quando as FFAA de lá recomendaram à população, calma, e ao então presidente Evo Morales que renunciasse, sendo ainda presa, a ex-presidente do Tribunal eleitoral Superior deles (realizada pela polícia), servirem de inspiração às autoridades brasileiras, o pedido de prisão preventiva apresentado à Procuradoria Geral da República poderá surtir efeito.

No Brasil, tão logo o ex-presidente foi liberado já começou a pregar com incitação à militância. O Jornal O Globo citou o fato, demonstrando a preocupação de quem conduz os destinos do País. Em vídeo gravado de comício, ele fala em “dar porrada” se não respeitarem …(inaudível), seguido de “fascistas”.

De fato, a soltura e Lula, sem mencionar a dos milhares de bandidos de toda espécie, em face da decisão do STF em uma ilegal sessão (denunciada pela Convergências à PGR), pode causar um estrago sem precedentes à tranquilidade e ordem social, pois o ex-presidente saiu da cadeia com muita raiva de tudo, ao que parece. A militância, embora boa parte se suspeite paga, pode ser jogada contra as instituições e o Povo de forma física, ou seja, provocação de violência buscando igualar o Brasil aos sofrido no Chile, por conta da ação comprovada de agentes treinados e manipulados pela Venezuela e Cuba, reconhecidos que foram pela OEA – Organização dos Estados Americanos.

República de Curitiba e Convergências protocolaram eletronicamente nesta madrugada, por meio do advogado Dr. Maurício Santos Pereira, pedidos de prisão preventiva, para que se interrompa o risco de convulsão provocada pelos discursos raivosos do ex-presidente, condenado e réu em vários processos. Tais riscos estão sobejamento previstos na LSN – Lei de Segurança Nacional – e a peça adiante apresenta corretamente as moivações e os fatos.



Postagem Anterior Próxima Postagem