Por meio da Comissão de Defesa do Consumidor (CDC) da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o deputado estadual João Luiz (Republicanos) irá solicitar à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a fiscalização do cumprimento do plano de ação da Amazonas Energia, apresentado nesta quarta-feira (13), em Cessão de Tempo no plenário Ruy Araújo, na Casa Legislativa.

O parlamentar, que preside a CDC/Aleam, participará nesta quinta-feira (14) de uma reunião com a diretoria da Aneel, em Brasília, e aproveitará a ocasião para entregar à reguladora um relatório com registros de reclamações sobre os apagões de energia na capital e em mais 17 municípios.

“A empresa atendeu ao chamado, compareceu ao parlamento, negou racionamento de energia em Manaus e apresentou um plano de ação com a construção de 87 usinas no Amazonas o que, segundo a direção da concessionária, irá solucionar as falhas no fornecimento do serviço. No entanto, vamos entregar um relatório à Aneel, para que tome ciência dos problemas enfrentados no Estado e, principalmente, para que acompanhe e fiscalize, de perto, a execução do plano de ação da Amazonas Energia no Estado”, afirmou João Luiz.

O plano de ação apresentado pela Amazonas Energia, além da construção de 87 usinas, também inclui expansão da rede em Manaus e obras de interligação de municípios, entre eles Parintins (distante 369 km de Manaus em linha reta), Itacoatiara (176 km), Silves (204 km) e Itapiranga (227 km), ao Sistema Interligado Nacional (SIN). “A empresa cumpriu seu papel ao apresentar um plano de ação. Mas vamos fiscalizar a execução desse planejamento. Nossa meta é garantir um serviço de qualidade à população do Amazonas”, ressaltou o presidente da CDC.

Durante a Cessão de Tempo, ao ser questionado pelos parlamentares sobre as interrupções constantes na capital, o diretor-presidente da Amazonas Energia, Tarcísio Rosa, afirmou que o furto de energia (“gato”) é o que mais gera problemas de instabilidade no sistema.

“Trabalhamos com fatos imprevisíveis, como acidentes de trânsito e temporais que atingem postes e árvores na cidade. Quando isso ocorre, a rede é desligada, afetando de 4 mil a 5 mil consumidores. Mas isso se faz necessário para evitar maiores incidentes. No entanto, as ligações clandestinas são nosso maior problema, pois geram uma instabilidade muito grande no sistema. Por isso, pedimos que a sociedade denuncie os furtos, isso vai contribuir para a melhoria dos nossos serviços ”, justificou Rosa, ao comentar que, hoje, a matriz energética de Manaus é a gás natural, além de contar com a geração da hidrelétrica de Balbina e do Linhão de Tucuruí.

A Cessão de Tempo, presidida pelo presidente da Aleam, deputado Josué Neto, contou com a participação dos deputados Wilker Barreto (Podemos), Álvaro Campelo (PP), Belarmino Lins (PP), Saulo Vianna (PPS), Carlinhos Bessa (PV), Felipe Souza (Patriota), Serafim Corrêa (PSB), e de representantes da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), defensor público Thiago Rosas; do Ministério Público do Estado (MP-AM), promotora Sheila Andrade; do Procon-AM, coordenador Jalil Fraxe; do secretário de Estado das Cidades e Território, Ricardo Francisco; e do vereador de Manacapuru, Leonardo Guimarães.


Via Assessoria do Deputado
Postagem Anterior Próxima Postagem