Mais de 400 famílias serão beneficiadas com o pagamento da subvenção da juta e malva em 12 municípios do interior do Amazonas. O alcance econômico e social da medida foi destacado pela deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB), que junto com o governador Wilson Lima (PSC) esteve nesta segunda-feira, 25 de novembro, em Codajás (a 297 quilômetros), para acompanhar a entrega dos cheques simbólicos aos produtores.


Bandeira do mandato da deputada Alessandra desde 2015, o cumprimento da lei estadual que instituiu a subvenção no Estado foi pauta de pronunciamentos, requerimentos, indicativos e reuniões no Poder Legislativo. Os governos anteriores, entretanto, deixaram atrasos que agora foram sanados pela atual administração. No total, o Governo já pagou mais de R$ 5,7 milhões só este ano, abrindo novas perspectivas econômicas e sociais para as famílias que trabalham na cadeia produtiva da fibra vegetal juta e da planta malva.


Além de elogiar o compromisso do governador com os homens e as mulheres do campo, a deputada exaltou o empenho do secretário de Produção Rural, Petrúcio Magalhães, e do diretor presidente da Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), Flávio Antony, nessa demanda. O pagamento da subvenção vai incrementar a economia de 12 municípios: Anamã, Anori, Beruri, Caapiranga, Coari, Codajás, Iranduba, Itacoatiara, Manacapuru, Manaquiri, Nhamundá e Parintins. Também participaram da atividade em Codajás os deputados Josué Neto (PSD), Álvaro Campelo (PP) e Fausto Júnior (PV).

Se antes os governos não enxergavam os homens e as mulheres do campo, hoje eles são vistos e lembrados com o pagamento em dia da subvenção da juta e malva. Essa é mais uma luta que abraçamos desde o início do nosso primeiro mandato, em 2015. Orgulhosa demais de trabalhar e fazer a diferença na vida dessa gente guerreira do interior do Amazonas

 comentou a deputada Alessandra




Fibras



A produção da fibra vegetal juta e da planta malva é uma das atividades de grande valor para a indústria têxtil. Cultivadas nas áreas de várzea, sem insumos químicos, elas representam uma alternativa ecológica para a confecção de embalagens, principalmente, na substituição das sacolas plásticas.




Subvenção


A Lei 2.611, de 4 de julho de 2000, regulamentada pelo Decreto 24.196, de 29 de abril de 2004, institui a concessão de subvenção econômica a produtores de juta e malva no estado, tendo como objetivo incentivar a produção dessas culturas. O processamento e a fiscalização das habilitações e dos pagamentos das subvenções são realizados pela Sepror, por meio da ADS. Atualmente, o valor da subvenção é de R$ 0,40 por quilo produzido.


Via Assessoria de Imprensa
Postagem Anterior Próxima Postagem