O atleta amazonense Sandro Viana, bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, será homenageado pela Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) com a Medalha Ruy Araújo. A iniciativa foi uma propositura da deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) e a entrega da medalha, que é a maior honraria concedida pelo Poder Legislativo do Amazonas, será realizada no dia 13 de novembro, às 13h.

Alessandra ressaltou que a homenagem é justa e oportuna, uma vez que já estava programada bem antes de o atleta receber o bronze tardio de Pequim 2008. A deputada enfatizou que é uma admiradora da trajetória do supercampeão das pistas e que estreitou suas relações com Sandro durante a sua passagem pela Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), entre 2012 e 2014.

“Nós temos um medalhista olímpico entre os atletas do Amazonas e isso é motivo de orgulho. Segunda-feira (4) eu encontrei com o Sandro no aeroporto, enquanto voltava de uma agenda em Brasília. Ele recebeu agora esse prêmio olímpico e no dia 13 de novembro ele receberá a maior honraria desta Casa, uma homenagem justa e oportuna”, disse Alessandra durante a Sessão desta terça-feira (5).





Longa espera…


A equipe brasileira que disputou a final do revezamento 4x100m nas Olimpíadas de Pequim, em 2008, enfim, recebeu sua medalha de bronze. Na última quinta-feira (31), Bruno Lins, José Carlos Moreira, Sandro Viana e Vicente Lenilson participaram da honraria no Museu Olímpico, na cidade de Lausanne, na Suíça.


O Brasil herdou a medalha de bronze na final do revezamento 4x100m depois de Nesta Carter, atleta jamaicano, ser flagrado em exame antidoping posterior aos Jogos Olímpicos de Pequim. Desta maneira, a medalha de ouro da Jamaica passou para Trinidad & Tobago, que havia ficado com a Prata. O Japão, consequentemente, ficou com a prata, e o time verde e amarelo com o terceiro lugar.


“Tudo que eu fiz foi me dedicar ao esporte nos últimos 20 anos. Quando saí de Manaus, vendi tudo para me tornar um atleta. Só pensava em fazer o meu melhor todos os dias até chegar aos Jogos Olímpicos. Quando tive contato com o universo olímpico, minha vida mudou. De lá pra cá, a única coisa que eu fiz foi cultivar o esporte olímpico da melhor maneira possível, através do meu exemplo de vida. Já era um atleta muito satisfeito, muito realizado com o quarto lugar. E quando veio essa notícia, tudo mudou na minha vida. Veio uma explosão de emoções onde passado, presente e futuro acabaram se misturando”, revelou Sandro Viana, o mais experiente da equipe, com 42 anos atualmente.


Via Assessoria da Deputada
Postagem Anterior Próxima Postagem