Jair Bolsonaro cumprimentando Josué Neto durante a abertura da da 1ª Feira de Sustentabilidade do Polo Industrial de Manaus (FesPIM). Foto: Joel Arthus.

Jair Bolsonaro disse, por duas vezes, que Josué Neto, presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), reconheceu o ato do Governo Federal para a geração de empregos no Amazonas enquanto a imprensa e ambientalistas o criticavam. Bolsonaro cumpriu agenda em Manaus nesta terça (26), em um Culto de Ação de Graças pelos 300 dias de trabalho do Governo Federal, e nesta quarta-feira (27), na abertura da 1ª Feira de Sustentabilidade do Polo Industrial de Manaus (FesPIM).

Em ambas as agendas, o presidente da República relembrou o discurso de Josué Neto, feito no último dia 7, sobre a importância do decreto que possibilitou a exploração do milho e a produção de biocombustíveis no Amazonas anunciadas pela empresa Millenium BioEnergia, com investimentos de R$ 4,4 bilhões que vão gerar pelo menos 36 mil novos empregos no Estado.

Bolsonaro disse que foi informado pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que a liberação do plantio de cana-de-açúcar na Amazônia – que contempla o plantio do milho – era importante para o Amazonas mas que poderia sofrer críticas da imprensa e dos ambientalistas.




Eu disse a ela que não estava preocupado com desgastes, assinei o decreto e fiquei muito feliz quando vi o presidente da Assembleia Legislativa aqui do Amazonas (Josué Neto) em um discurso sobre este assunto dizendo que isso traria mais empregos pra região, afirmou Bolsonaro.


No dia 8 de novembro, Bolsonaro chegou a divulgar nas suas redes sociais um vídeo do discurso de Josué Neto na Assembleia Legislativa do Amazonas, feito no dia 7, onde agradeceu e parabenizou o empenho do parlamentar no desenvolvimento da região.




Bolsonaro elogia Josué no auditório Canaã:




Bolsonaro elogia Josué Neto durante discurso na I fesPIM:



Postagem Anterior Próxima Postagem