Nesta segunda-feira (18) ocorreu a reconstituição do dia da morte do engenheiro Flávio Rodrigues, que teve seu corpo encontrado em um terreno, no Tarumã, no dia 30 de setembro após participar de uma festa particular na casa do filho da primeira-dama, Elisabeth Valeiko, Alejandro Valeiko.


Familiares e amigos do engenheiro Flávio Rodrigues fizeram um protesto em frente a entrada do Condomínio Passaredo. Pedindo justiça, eles abordaram os carros da polícia quando os suspeitos chegavam ao local onde está sendo feita a reconstituição do crime, ocorrido em 29 de setembro.


A suspeita é de que Flávio tenha sido assassinado no local, na casa onde mora Alejandro Valeiko, filho da primeira-dama de Manaus,



A ‘reprodução simulada dos fatos’ ocorreu no Condomínio Passaredo, na Ponta Negra, local onde Alejandro morava. De acordo com informações do titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Paulo Martins, todos os suspeitos participaram da reconstituição.


No total, seis pessoas, incluindo Alejandro, foram presas suspeitas na participação do crime, sendo eles: Elielton Magno de Menezes Gomes Junior, de 22 anos, José Edvandro Martins de Souza Junior, de 31 anos, Mayc Vinicius Teixeira Parede, de 37 anos, Elizeu da Paz de Souza, de 37 anos (segurança de Alejandro).



O único que teve a liberdade concedida foi o chef de cozinha, Vitorio Del Gatto, que declarou ter problemas de saúde, mas também participa da simulação do dia da morte do engenheiro Flávio.


Familiares e amigos da vítima estiveram na frente do condomínio realizando protestos.



A irmã da vitima, Mary Lee , disse que a presença do grupo no local tem como objetivo reforçar o clamor pela solução do caso. "Nosso clamor não vai parar. Estamos aqui para mostrar que estamos empenhados. Estamos clamando para que hoje saia o parecer do caso. Que eles deem um parecer para a gente. A polícia esta empenhada, mas a verdade tem que vir deles, dos que estiveram aqui. Nós não vamos parar. Vamos acompanhar todos os acontecimentos",disse ela, após a entrada do comboio policial no condomínio.


O grupo entrou em carros caracterizados e algumas viaturas da policia militar. Em um dos carros foi possível ver Mayc Vinicius Teixeira, um dos suspeitos de participação no crime, com o uniforme da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária. Ele também está preso preventivamente.

Via Á CRÍTICA
Postagem Anterior Próxima Postagem