A etapa de integração das seções do submarino Humaitá foi acionada, nesta sexta-feira (11), pelo presidente, Jair Bolsonaro, em cerimônia no Complexo Naval de Itaguaí (RJ), o mais moderno da América Latina.

Em seu discurso, o presidente destacou o trabalho dos brasileiros na construção do submarino. 
Aproximadamente 200 anos antes de Cristo, Arquimedes disse: ‘Dê-me uma alavanca e um ponto de apoio que eu moverei o mundo’. Hoje não seria muito dizermos: ‘Dê ao povo brasileiro meios e liberdade que ele elevará o Brasil’. A prova material disso está aqui à minha frente, à direita. Trabalho do povo brasileiro, do mais graduado engenheiro ao mais humilde trabalhador. Esse é o trabalho desse povo que precisa de liberdade e meios para trabalhar. Disse o Presidente

A soberania do país e a proteção da Amazônia Azul são o objetivo do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub) da Marinha brasileira, que está investindo R$37,1 bilhões na construção de quatro submarinos com propulsão elétrica, um submarino com propulsão nuclear e um complexo centro de infraestrutura e apoio à operação dos submarinos em Itaguaí.
Na cerimônia, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, também ressaltou que o Programa vai contribuir “decisivamente para assegurar o exercício da nossa soberania na imensa e rica Amazônia Azul”.

Presidente Jair Bolsonaro deu início a etapa de integração no Rio de Janeiro Presidente aciona alavanca que dá início à integração do Submarino Humaitá Foto: Marcos Corrêa/ PR

O Humaitá é o segundo submarino a ser construído pelo Prosub. Sua entrada em operação está prevista para o segundo semestre de 2020. Moderna, a embarcação tem mais de 70 metros de comprimento e cerca de 1,8 mil tonelada.

De acordo com o comandante da Marinha, almirante de esquadra Ilques Barbosa Júnior, é um “complexo processo de absorção de tecnologia e conhecimento em valor estratégico cuja competência situa o Brasil no seleto grupo de países com tecnologia para fabricar, manter e operar submarinos”

O primeiro dos submarinos construídos, chamado de Riachuelo, foi lançado ao mar no fim do ano passado e já está em fase de testes. “Daqui estão começando a sair os mais modernos submarinos com propulsão elétrica da atualidade. Eles vão trazer vantagens significativas para a Marinha do Brasil no cumprimento da sua missão”, destacou o presidente da Itaguaí Construções Navais, empresa responsável pela construção dos submarinos, André Portalis.


Treinamento da Tripulação
O Prosub inclui também a construção da base que vai receber e operar os novos submarinos. A preparação da tripulação também será feita no Complexo Naval de Itaguaí. O moderno Centro de Treinamento inclui simuladores das mais diversas situações reais que possam ocorrer no mar. Exercícios são feitos em aparelhos com inclinações que imitam o movimento nas águas e computadores com a parte interna do submarino fazem simulações táticas de comando e ataque.

Seções Integradas


Nessa nova etapa, serão integradas as seções 1, 2-A, 2-B, 3 e 4. “A integração das seções é mais uma prova do sucesso na absorção de tecnologia pelos brasileiros. Um exemplo foi o ganho de 30% no prazo de montagem das últimas seções”, disse o presidente da Itaguaí.

Na seção 1, fica o compartimento que abriga o motor elétrico principal, responsável pela propulsão do submarino, além da hélice e dos lemes de navegação.

Na seção 2-A, estão os quatro motores de combustão principais acoplados aos quatro geradores elétricos que carregam as baterias do submarino. No piso inferior da seção, serão instalados 180 elementos de bateria. Cada um pesa cerca de setecentos quilos e tem altura aproximada de 1,5 metro.

Já, na seção 2-B, ficam os compartimentos habitáveis do submarino, que incluem a câmara do comandante e os camarotes da tripulação. No piso inferior, ficam a cozinha, os banheiros e as câmaras frigoríficas, além da célula de sobrevivência, chamada de Escape Trunk.

A seção 3 é considerada o coração operacional do submarino já que abriga os sensores principais, como os painéis de comando e os sistemas de sonar responsáveis pela navegação. Acima do compartimento de comando, fica a vela com os mastros do submarino.

Por último, na seção 4, está o compartimento de armas do submarino com seis tubos lançadores de torpedos, mísseis e minas marítimas.

Assista o vídeo na íntegra:



Postagem Anterior Próxima Postagem