Veneno de rato foi encontrado em laudo da perícia, pirulito aceito de desconhecida e cachorro quente são as principais suspeitas para intoxicação



Os primeiros exames da Polícia Civil na menina Lorrana Madalena da Luz Manoel, de 14 anos, apontam vestígios de veneno para rato, conhecido popularmente como chumbinho, em seu corpo. Médicos que atenderam a jovem na quarta-feira (23) também acreditam na hipótese de envenenamento como causa da morte.


A Polícia Civil recolheu um líquido no estômago da menina que será levado para uma perícia mais aprofundada. O resultado do exame pode apontar se Lorrana foi envenenada, seja propositalmente ou não.

Informações preliminares apontam que o lado do IML (Instituto Médico Legal) foi inconclusivo para a suspeita de envenenamento. O R7 tentou confirmar o resultado com a Polícia Civil, mas não obteve retorno até a publicação da matéria.


De acordo com a família, a jovem teria aceitado um pirulito de uma mulher desconhecida em um trem, na última terça-feira (22), quando voltava de um curso que fazia no Rio de Janeiro.


Ao encontrar a mãe, Lorrana se queixou de dores de cabeça, mas a família suspeitou que fosse um sintoma relacionado ao período menstrual da jovem. A menina ainda teria comido um cachorro quente antes de dormir, momento no qual começou a vomitar e se queixar por não enxergar nada.


Luciano da Silva Manoel, pai de Lorrana, disse em entrevista à Record TV Rio que “começou a sair coisas de dentro da boca” da menina. “Como se tivesse estourado ela por dentro”.


Na última quinta-feira (24), a Polícia Civil levou o carro de cachorro quente da tia de Lorrana, onde ela teria comido o lanche. A instituição acredita que uma perícia no veículo possa ajudar nas investigações da morte da jovem.


O velório de Lorrana será nesta sexta-feira (25) às 11h e o sepultamento está marcado para às 14h no cemitério Nossa Senhora das Graças, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Via FV
Postagem Anterior Próxima Postagem