O Projeto de Lei 465/2019, de autoria do deputado Felipe Souza (Patriota), que insere no Calendário Oficial do Estado Amazonas a Festa dos Tabernáculos, foi aprovado por unanimidade na Sessão Plenária desta quinta-feira (03), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). Depois que for sancionado pelo governador Wilson Lima (PSC), a festa ficará incluída no calendário oficial a ser realizada anualmente entre o final de setembro e inicio de outubro, contadas duas semanas após o Rosh Hashanah, que é o inicio do ano calendário judaico.

Segundo Felipe Souza, o Projeto de Lei tem por objetivo celebrar a “Festa dos Tabernáculos” oficialmente no Amazonas e será de grande importância no calendário oficial de festas no Estado. É uma festa muito popular até hoje em Israel, uma das três festas em que o povo peregrinava até o Templo de Jerusalém e está entre as três mais importantes, junto com o Pentecostes e Páscoa. “O plano de Deus para a humanidade envolve uma restauração. A Festa simboliza esse processo de restauração”, concluiu o deputado.


O Significado da Festa

A Festa dos Tabernáculos tinha como objetivo fazer o povo se lembrar do tempo em que morou em tendas durante a peregrinação pelo deserto, e que Deus o sustentou ali, após havê-lo tirado da escravidão no Egito (Lv 23:33-43). Era também conhecida como Festa da Colheita, Festa da Sega, Festa das Cabanas. Comemorada no sétimo mês do calendário judaico, cinco dias após o Dia da Expiação, ela prosseguia por sete dias e, no oitavo, havia uma reunião solene (Ex 23:16 e 17; 34:22). Era realizada logo após o povo de Deus colher o trigo e recolher os frutos próprios da estação e, em memória à provisão divina, que nunca faltou, mesmo nos momentos mais difíceis que o povo viveu no deserto (Lv 23:43).

Via Assessoria do Deputado
Postagem Anterior Próxima Postagem