Presidente participou de cerimônia de entronização do imperador japonês


Além do Japão, Bolsonaro visitará China, Emirados Árabes Unidos, Catar e Arábia Saudita em viagem pela Ásia e Oriente Médio



Durante viagem pela Ásia e Oriente Médio, o presidente da República, Jair Bolsonaro, assistiu à cerimônia de entronização do imperador Naruhito nesta terça-feira (22), no Palácio Imperial, em Tóquio. Após a cerimônia, o presidente participou de banquete oferecido pelo novo Imperador. Em 1 de maio de 2019, Naruhito assumiu o trono japonês, concluindo a Era Heisei (“paz eterna”) e iniciando a Era Reiwa (“bela harmonia”).


É motivo de satisfação e de orgulho. Da nossa parte, é questão de respeito e consideração com o povo japonês, afirmou Bolsonaro em conversa com a imprensa. O presidente divulgou foto sobre o evento em suas redes sociais.





Nesta quarta-feira (23), o presidente participará de encontro bilateral e jantar oferecido pelo primeiro-ministro Shinzo Abe. Sobre a relação entre Mercosul e Japão, Bolsonaro está otimista. “Com toda certeza é mais um grande passo para o acordo com o Mercosul. O nosso embaixador aqui, Sabóia, é muito ativo, influente, e trabalha também para que o nosso comércio se intensifique”, afirmou, citando o embaixador do Brasil em Tóquio, Eduardo Sabóia.
Na agenda do presidente, ainda consta encontro  com empresários de grandes corporações japonesas. "Eu acho que nessas conversas, certamente, o prato mais forte serão os temas comerciais, os temas de investimentos”, disse o embaixador Reinaldo José de Almeida Salgado, secretário de Negociações Bilaterais na Ásia, Pacífico e Rússia do Ministério das Relações Exteriores. 
O presidente ainda se encontrará com representantes da comunidade brasileira no Japão. O Japão abriga a terceira maior comunidade brasileira fora do País, cerca de 200 mil pessoas. Enquanto isso, o Brasil tem a maior comunidade de descendentes de japoneses no exterior, cerca de 2 milhões.


Confira como foi a cerimônia de entronização:


Brasil - Japão

O Japão é um dos mais tradicionais parceiros do Brasil na Ásia. O estabelecimento das relações diplomáticas entre o Brasil e o Japão deu-se em 1895, com a assinatura do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação, e permitiu a abertura recíproca de representações diplomáticas em 1897, abrindo caminho para o início da imigração japonesa, em 1908.

Em janeiro de 2019, o Presidente Jair Bolsonaro e o Primeiro-Ministro Shinzo Abe mantiveram reunião bilateral no contexto do Fórum Econômico Mundial de Davos. Em junho último, os dois mandatários se reuniram mais uma vez à margem da Cúpula do G20, em Osaka, Japão. Desde 2014, quando o Primeiro-Ministro Shinzo Abe visitou o Brasil, os dois países mantêm Parceria Estratégica e Global. O Brasil tem interesse em intensificar o fluxo bilateral de comércio e, para tanto, busca maior abertura do mercado japonês, principalmente para as carnes e frutas brasileiras.

De acordo com Ministério das Relações Exteriores, em 2018, o Japão, terceira maior economia do mundo, manteve-se como o sexto maior investidor direto no Brasil, com estoque de cerca de US$ 20 bilhões e fluxo de US$ 1,12 bilhão. Há interesse mútuo de ampliar os investimentos japoneses em infraestrutura no Brasil. Nesse sentido, os dois países firmaram, em outubro de 2016, Memorando de Cooperação para a Promoção de Investimentos e Cooperação Econômica no Setor de Infraestrutura.


No âmbito comercial, o Japão figurou, em 2018, como o terceiro principal parceiro do Brasil na Ásia e o nono no mundo. Naquele ano, o intercâmbio bilateral foi de mais de US$ 8,6 bilhões As exportações brasileiras para o Japão compõem-se, na maior parte, de produtos básicos (minério de ferro, alumínio, café, carnes e soja em grãos), e as importações procedentes do Japão correspondem, em sua quase totalidade, a produtos manufaturados (máquinas, automóveis, eletrônicos, instrumentos de precisão e produtos químicos).


Bolsonaro também se reuniu com o primeiro-ministro, Shinzo Abe




Nesta quarta-feira (23), o presidente da República, Jair Bolsonaro, reuniu-se em Tóquio com empresários de grandes corporações japonesas, conhecidos como Grupo de Notáveis Brasil-Japão, e representantes do governo brasileiro.

O embaixador do Brasil no Japão, Eduardo Sabóia, destacou o papel do grupo nas relações comerciais com o governo japonês.


O grupo de notáveis vem nos ajudando a mostrar para o governo japonês as vantagens de ter um acordo comercial com o Brasil. Também temos um diálogo muito importante na área de investimentos, destacou.

Bolsonaro se manifestou em suas redes sociais sobre o encontro. 

No grandioso Japão, nos reunimos com empresários de grandes corporações como o chamado 'Grupo de Notáveis', entre outros importantes compromissos mostrando o novo Brasil: crescendo, gerando empregos e oportunidades com liberdade e segurança ao investidor!

Participaram representantes das empresas Nippon Steel Corporation, Toyota Motor Corporation, IHI Corporation e Mitsui & Co., Ltd. "Eu acho que nessas conversas, certamente, o prato mais forte serão os temas comerciais, os temas de investimentos”, disse o embaixador Reinaldo José de Almeida Salgado, secretário de Negociações Bilaterais na Ásia, Pacífico e Rússia do Ministério das Relações Exteriores, antes do encontro.
Investimento no Brasil

Em setembro, a Toyota anunciou investimento de R$ 1 bilhão no Brasil, e o presidente Bolsonaro destacou a importância da política do governo de incentivo aos biocombustíveis para a iniciativa da montadora.

A Toyota do Brasil investirá R$ 1 bilhão em sua planta de Sorocaba/SP, graças ao programa de valorização dos biocombustíveis do Governo Federal, o Renovabio. - Em São Paulo serão produzidos os veículos híbrido-flex (etanol/eletricidade).

De acordo com o Ministério das Relações exteriores, o Japão é o sexto maior investidor direto no Brasil, com estoque de US$ 20,194 bilhões (fluxo de US$ 1,124 bilhão em 2018). Na última década, os investimentos japoneses privilegiaram os setores primário (mineração) e secundário (aço/metais, máquinas/equipamentos, transporte).




Primeiro-ministro

A reunião faz parte da agenda do presidente no Japão, onde também se reuniu com o primeiro-ministro, Shinzo Abe. Após o encontro, o presidente disse que Abe manifestou apoio à entrada do Brasil na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). "Ele falou que está favorável o Brasil entrar", relatou Bolsonaro. "Um apoio de peso que nós temos".





Em janeiro de 2019, o presidente Bolsonaro e o primeiro-ministro japonês mantiveram reunião bilateral no contexto do Fórum Econômico Mundial de Davos. Em junho, reuniram-se mais uma vez à margem da Cúpula do G20, em Osaka, Japão. Os temas prioritários da agenda bilateral, de acordo com o MRE, são cooperação em ciência, tecnologia e inovação, comércio e investimentos.

Desde 2014, quando o primeiro-ministro Shinzo Abe visitou o Brasil, os dois países mantêm Parceria Estratégica e Global. O Brasil tem interesse em intensificar o fluxo bilateral de comércio e, para tanto, busca maior abertura do mercado japonês, principalmente para as carnes e frutas brasileiras. Aprofundar a cooperação em Ciência, Tecnologia e Inovação particularmente no que diz respeito à produção brasileira de nióbio e a pesquisas sobre o grafeno – é outro tema prioritário para a pauta bilateral. O Brasil também busca receber mais investimentos japoneses, sobretudo na área de infraestrutura, bem como eventualmente iniciar negociações de um acordo de livre-comércio Mercosul-Japão e manter a coordenação em temas globais.


Príncipe Charles

No mesmo dia, o presidente Bolsonaro teve uma reunião bilateral com o príncipe Charles, da Inglaterra. "Muito educado e respeitador, conversamos sobre vários assuntos, entre eles, o desenvolvimento da nossa Amazônia", registrou o presidente em suas redes sociais, com foto ao lado do herdeiro do trono britânico.



No país asiático, o presidente também teve encontro com a comunidade brasileira no Japão, além de ter sido o único líder do continente americano presente na cerimônia de entronização do novo imperador Japonês, Naruhito.



Presidente se encontra com comunidade brasileira no Japão

Atualmente, mais de 200 mil brasileiros vivem no país


Palavras do Presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: José Dias/PR

O presidente Jair Bolsonaro se encontrou, nesta quarta-feira (23), com representantes da comunidade brasileira no Japão. De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, mais de 200 mil brasileiros vivem no país que fica apenas atrás das colônias brasileiras nos Estados Unidos e no Paraguai. Por outro lado, o Brasil abriga a maior comunidades de descendentes de japoneses no exterior (cerca de dois milhões).

Durante o encontro, o presidente disse que o Brasil está mudando e que os números da economia mostram isso. Bolsonaro também afirmou que os resultados conquistados são reflexo do time de ministros e presidentes dos bancos - Caixa e Banco do Brasil - que tiveram total liberdade para montar suas equipes.



Essa nova dinâmica é uma quebra de paradigmas na forma de governar o país. O que estamos fazendo é recuperar a confiança do Brasil junto ao mundo, afirmou Bolsonaro.

A agenda no Japão teve início no dia 22 de outubro, quando Bolsonaro participou da Cerimônia de Entronização, no Palácio Imperial, em Tóquio. Após a cerimônia, houve um banquete oferecido pelo novo Imperador.

Nesta quarta-feira, além da reunião com a comunidade brasileira, também houve um encontro com empresários de grandes corporações brasileiras e uma agenda bilateral com o primeiro-ministro Shinzo Abe.


Contexto da visita

O Japão é um dos mais tradicionais parceiros do Brasil na Ásia. Os dois países compartilham valores importantes e têm visões de mundo semelhantes, o que facilita a cooperação. A visita do presidente Jair Bolsonaro oferece oportunidade para reforçar a importância atribuída às relações entre os dois países e destacar temas prioritários para a agenda bilateral.

Em 1º de maio de 2019, Naruhito assumiu o trono japonês, concluindo a Era Heisei ("paz eterna") e iniciando a Era Reiwa ("bela harmonia"). Embora a transição imperial já tenha ocorrido, a cerimônia de entronização do novo imperador ocorreu apenas no dia 22 de outubro em Tóquio.

A visita de Bolsonaro ao Japão para participar da cerimônia deu sequência a uma série de contatos recentes da família imperial japonesa com o Brasi, como as visitas da princesa Mako e do príncipe herdeiro Naruhito, ambas em 2018. Esse relacionamento próximo, que reflete os profundos e tradicionais vínculos humanos entre Brasil e Japão, tem sido de grande valia para o estreitamento da parceria entre os dois países.



Via Secom/PR
Postagem Anterior Próxima Postagem