"Não é de hoje que, eleitores de Humaitá reclamam de maus tratos por parte do diretor do Cartório Eleitoral do município. Todos os dias dezenas de pessoas ficam concentradas em filas em busca de uma “senha” para realizarem o cadastramento biométrico, a fila começa a ser formada muitas vezes durante a madrugada, já recebemos reclamações pela falta de um local adequado para as pessoas aguardarem seu atendimento. Já registramos casos em que senhoras de idade chegaram a passar mal no sol escaldante, e sem local adequado tiveram que sentar no asfalto quente, por não suportar a espera e o cansaço.

Fizemos reportagem a respeito do fato que teve grande repercussão favorável à causa, porém nada foi feito pelo diretor que ao invés que resolver a questão, passou a responder de forma truculenta e mal educada todas as pessoas quando o mesmo era interpelado sobre a situação!


Eu enfrentei quase 03 hrs para ser atendida e esse senhor disse que eu não precisava mais votar! Eu quero e vou votar porque a decisão é minha, reclamou dona Sebastiana Rodrigues de 62 anos.

Na manhã desta segunda-feira (21) a redação foi ao Cartório Eleitoral em busca de informações sobre o recadastramento biométrico que acontecerá no Distrito de Realidade, para nossa surpresa o servidor público, Gutemberg Capecci, que é analista judiciário e chefe do Cartório Eleitoral nos atendeu com extrema arrogância e de forma mal educada negou as informações, exigindo nossa retirada das dependências do Cartório.

O clima e o mal estar causado pelo servidor público foi constrangedor e inadequado para com a IMPRENSA no exercício do nosso trabalho. Registramos o fato lamentável e comprovamos que o servidor é desequilibrado é despreparado para o atendimento público. Em defesa da cidadania e do direito à informação por parte de um órgão público de grande importância a sociedade local, iremos a corregedoria denunciar o mal comportamento do servidor em questão", diz a matéria do site
 A Crítica de Humaitá
Postagem Anterior Próxima Postagem