Aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa do Amazonas, o PL 108/2019, de autoria do deputado Roberto Cidade (PV), garante  gratuidade ao reconhecimento voluntário de paternidade, perante os ofícios de registro civil no Estado do Amazonas.


O projeto vai beneficiar principalmente as mães  que precisarem da certidão de nascimento da criança, sem o nome do pai.


“A gente sabe que algumas vezes as mães precisam registrar a criança, de forma urgente, e diante disso, muitas vezes o registro é feito sem o nome do genitor. Após isso, para a inclusão do nome do genitor, o custo aumenta substancialmente. Nosso Projeto quer garantir a gratuidade desse documento, entendendo que se o registro é gratuito a averbação também deve ser”, disse.


Roberto Cidade ressaltou ainda o direito à dignidade humana e ao exercício da cidadania plena, garantidos na Constituição Federal.

“Nossa Carta maior que é a Constituição Federal garante a cidadania plena. E propiciar a gratuidade do documento de reconhecimento da paternidade,  é conseguir esse direito ao cidadão amazonense”, pontuou.


A matéria aprovada nesta quinta-feira, 12, no plenário da Assembleia Legislativa, segue para a sanção do governador. Caso seja sancionada, os cartórios terão o prazo de 60 dias para se adequar à nova legislação.
Postagem Anterior Próxima Postagem