Em pronunciamento na manhã desta quarta-feira (14), a deputada professora Therezinha Ruiz (PSDB) destacou a inauguração da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e Adolescente (DEPCA), no conjunto Morada do Sol (zona centro-sul de Manaus), como um avanço na política de enfrentamento à violência sexual, pela melhoria das novas instalações da delegacia, que proporcionarão agilidade nas denúncias e o atendimento humanizado às vítimas menores de idade.

“Trata-se da retomada de uma obra muito importante, que demonstra a preocupação do Estado com o combate à violação dos direitos de crianças e adolescentes”, salientou a deputada, acrescentando que no mesmo prédio também funcionará a 16ª Companhia Interativa Comunitária da Polícia Militar (16ª Cicom).

Para Therezinha Ruiz, a mudança da Delegacia para o novo local, vai proporcionar um ambiente adequado ao atendimento das crianças e adolescentes vítimas de violência, com profissionais capacitados para fazer o seu acolhimento. As novas instalações são dotadas de brinquedoteca, auditório e registro de ocorrência privativo, além dos serviços usuais nas unidades policiais, como cartório, setor de identificação e salas de delegados.

Durante a inauguração realizada nesta terça-feira (13), a delegada titular da DEPCA, Joyce Coelho, disse que a mudança  significará mais conforto e segurança para atender às vítimas, que muitas vezes sequer conseguem depor, devido aos traumas causados por  crimes como estupro, exploração sexual, pedofilia e outros tipos de violência.

O novo prédio com 26 salas, segundo Joyce Coelho, também vai propiciar a melhoria da estrutura na questão do material humano, para atender as vítimas com mais qualidade.  A 16ª Cicom dará suporte à DEPCA e vai também aperfeiçoar o policiamento na área do conjunto Morada do Sol com programas como Ronda Escolar, Ronda Comercial e Rede de Vizinhos Protegidos,  beneficiando comerciantes, estudantes e moradores.

Atualmente, a DEPCA funciona na Rua 6, Conjunto Bela Vista, no bairro Planalto e a mudança é uma antiga reivindicação das organizações sociais que integram a Rede de Proteção à Crianças e Adolescentes, devido a dificuldade de acesso e as distâncias que as vítimas percorrem durante o processo de denúncia dos crimes.


Via: Assessoria do Deputado



Postagem Anterior Próxima Postagem