Pátria Amada Brasil

Pátria Amada Brasil
Governo Federal

Redução de imposto de produtos de informática quebra ZFM, diz Serafim




O presidente Jair Bolsonaro (PSL) publicou em sua conta no Twitter, no domingo (16), que o Ministério da Economia estuda reduzir de 16% para 4% os impostos sobre importação de produtos de tecnologia de informática, como computadores e celulares. De acordo com o deputado estadual Serafim Corrêa (PSB), a medida fere diretamente o polo de componentes voltado para a telefonia celular que existe na ZFM e que emprega seis mil pessoas.

“Fiquei assustado com o anúncio feito pelo presidente da República através de suas redes sociais de que vai diminuir alíquotas do imposto de importação de computadores e celulares. Vão quebrar todas as indústrias do ramo na Zona Franca de Manaus e no Brasil. Ou vão virar importadoras. É a repetição da abertura do Governo Collor. Os produtos ficarão baratos, mas vai aumentar o desemprego. Portanto, faltarão compradores”, afirmou Serafim.

O parlamentar, que é presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação, Informática e Inovação da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), avalia que 2019 está sendo marcado por uma série de ataques do Governo Federal contra a ZFM.

No dia 17 de abril, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou em entrevista à GloboNews que não ferraria o Brasil para manter vantagens do modelo ZFM. Dias depois, Guedes mudou o tom em reunião com a bancada federal do Amazonas.

“Todos nós já cansamos de sempre correr atrás de apagar incêndio. Há uma pré-disposição contra a Zona Franca muito grande e sempre, a cada momento, na menor possibilidade, quando se pensa que está tudo bem, lá vem mais uma novidade. A Suframa precisa agir. Querem dar condições excepcionais para os fabricantes de celular produzirem fora da Zona Franca. O objetivo é matar o polo de componentes voltado para a telefonia celular que existe na ZFM e que emprega seis mil pessoas”, declarou Serafim. 

Via Assessoria de Imprensa
Foto: Marcelo Araújo


Tecnologia do Blogger.