O deputado estadual Dermilson Chagas (PP), protocolou um requerimento à mesa diretora da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), solicitando uma Audiência Pública no âmbito da Comissão de Indústria, Comércio e Zona Franca do Poder Legislativo, para discutir sobre o Plano Dubai anunciado no último dia 10 de junho, pelo Governo Federal.

A proposta pretende diversificar a matriz econômica da região Norte com agronegócio, turismo e biotecnologia, de modo a reduzir a dependência do modelo industrial baseado em incentivos fiscais. A Audiência será debatida com o Superintendente da Zona Franca de Manaus (Suframa), Alfredo Menezes, deputados federais da bancada do Amazonas, deputados Estaduais, vereadores do Amazonas, universidades, Secretaria de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec), Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (Faea), Governador do Estado e prefeituras municipais.

De acordo com o Dermilson, o objetivo é para esclarecer para população do Amazonas, se existe a possibilidade mesmo de implanntar o plano do Governo Federal, tendo em vista de alguns empecilhos que precisam ser resolvidos antes. “É um erro vender falsas esperanças para o amazonense. Portanto, a primeira coisa que o Governo Federal precisa fazer é incluir a estrada BR-319 no pacote de obras, que até hoje não foi incluído, desde o anúncio dessa ação, revogar ou flexibilizar as leis ambientais que impedem que o Estado explore a nossa riqueza que é o minério e fazer investimentos para desenvolver a piscicultura e turismo. Com isso, o Amazonas sim, pode ter chance de se tornar o principal responsável pelo futuro desenvolvimento do nosso Brasil”, afirma.

Dermilson ainda ponderou que é necessário que o estado do Amazonas venha ter alternativas econômicas para trabalhar juntamente com o único modelo Zona Franca de Manaus. “Agora querer extinguir a Suframa para implementar esse plano Dubai, é um absurdo. Por isso, a proposta da Audiência para que possamos esclarecer para população o que pode fazer para encontrar novos meios econômicos”, reiterou.



Via: Assessoria do Deputado


Postagem Anterior Próxima Postagem