Em comemoração aos 20 anos de criação do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (IDSM), a Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), realizou na tarde desta quarta-feira (12) no Plenário Ruy Araújo, uma Sessão Solene em reconhecimento aos relevantes serviços de conservação, manejo de recursos naturais e desenvolvimento social sustentável realizados pelo instituto no interior do estado. A sessão foi uma proposição do deputado estadual Álvaro Campelo (Progressistas).

Para o deputado, o trabalho do instituto tem sido de fundamental importância para os moradores da região, garantindo condições para a população do interior fazer o uso responsável da natureza e garantir seu sustento. “É com muita honra e alegria que hoje homenageamos o Instituto Mamirauá, pelos seus 20 anos de serviços prestados ao povo do Estado do Amazonas, através de pesquisas científicas e do manejo de recursos naturais, principalmente no município de Tefé, além de incentivar o homem a fazer o uso consciente da natureza e de forma sustentável", disse Álvaro Campelo. 


Sediado no município de Tefé, o Instituto desenvolve suas atividades por meio de programas de pesquisa, com foco na região do médio Solimões, abrangendo os municípios de Uarini, Fonte Boa, Maraã, Jutaí e Alvarães.  De acordo com o diretor-geral da instituição, João Valsecchi, o resultado obtido desde a criação do instituto, tem gerado grandes benefícios para a região. “Agradeço o reconhecimento da Assembleia Legislativa, pelo trabalho que o Instituto vem realizando na conservação da biodiversidade e na melhoria da qualidade de vida das comunidades locais. Essa é uma das nossas missões, contribuir com a preservação da Amazônia e garantir uma qualidade de vida melhor aos munícipes da região. E isso tem sido possível com o apoio de financiadores e parceiros como o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o Governo do Estado do Amazonas, a Fundação Moore, e agora a Assembleia Legislativa do Amazonas”, afirmou Valsechi.


Atualmente, o IDSM conta com 300 profissionais, que atuam em 6 projetos, por meio de 12 grupos de trabalho, com o suporte de 9 laboratórios em 8 bases de pesquisa.


Via Assessoria de Imprensa
Postagem Anterior Próxima Postagem